Cisco – Juntos

Deixe um comentário

01

Fonte: http://www.ciscodoamor.com.br

Anúncios

Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior – Christo Nihil Praeponere

Deixe um comentário

45 Anos da Humanae Vitae

Fonte: http://padrepauloricardo.org

Aos 76 anos, Frei Atílio Abati falece em Bragança

1 Comentário

01Faleceu na manhã de hoje (31/05), às 6h20, na Fraternidade de Bragança Paulista, Frei Atílio Abati.
Frei Régis escreveu mostrando que o estado de saúde de Frei Atílio foi-se agravando muito nos últimos tempos. Era acompanhado pela médica da casa Dra. Ângela Maria Izzo e por uma neurologista do HUSF, Dra. Renata.
O problema mais grave, que lhe limitou significativamente os movimentos das pernas, era uma Neuromialgia, ou seja, infecção e atrofia dos nervos.
Em consequência desta limitação, sofreu inúmeros e seguidos tombos no quarto quando, sozinho, tentava levantar-se da cama, pois não esperava ou não aguardava a chegada das enfermeiras (os).
Com isso, sofreu algumas lesões no cotovelo e, a última, na bacia, porém, sem nenhuma fratura.
No final da tarde da terça-feira, dia 28, foi levado ao hospital para tratar das dores que estavam mais intensas. Passou por exames de RX e tomografia. Medicado, permaneceu internado até a tarde da quarta-feira quando recebeu alta hospitalar. Teve uma leve melhora.
Ontem, feriado de Corpus Christi, ele e Frei Benjamim Ansolin foram passar a manhã na chácara do pai do nosso enfermeiro Abimael. Esse passeio já estava programado há mais tempo. Divertiram-se, inclusive, numa pescaria na lagoa. Frei Atílio conseguiu fisgar alguns peixinhos. Após o almoço, voltou feliz para casa.
Durante esta madrugada passou muito mal, com vômitos e diarreia. Frei Carlos Pierezan e Frei Agostinho estiveram ao lado da enfermeira Kelly, plantonista da noite, para auxiliá-la.
Por volta das 6h20, o enfermeiro Abimael, que estava retornando de suas férias, encontrou Frei Atílio já desfalecido. Tentou reanimá-lo com massagem cardíaca, mas sem resultado. No laudo da médica consta o seguinte como causa mortis: parada cardiorrespiratória, arritmia cardíaca, choque hemorrágico, aneurisma de artéria ilíaca, neuropatia periférica e doença de Parkinson.
Frei Atílio está sendo velado na Fraternidade São Francisco de Assis, de Bragança Paulista. Seu corpo deverá chegar ao Cemitério do Santíssimo Sacramento, em São Paulo por volta das 15h00. Ali, às 16h00, haverá Missa de exéquias, seguida do sepultamento.
De 1989 até hoje, Frei Atílio viveu seus dias, em grande parte, em São Paulo, na Fraternidade São Francisco, do Largo São Francisco. Desempenhou, por muito tempo, juntamente com Frei Mário Tagliari, serviço junto ao Pró-Vocações, onde, com dedicação e carinho, respondia as cartas dos benfeitores e era responsável pela mensagem de Natal e Páscoa a eles endereçada. Frei Atílio, em geral, tinha bom humor e gostava de brincar com as pessoas, fazendo chacotas.
Segundo as próprias palavras de Frei Atílio, seu desejo como religioso franciscano era “ajudar as pessoas, ser útil através do serviço, da bondade, da compreensão, da doação e da misericórdia. E também ser um pouco de luz e de esperança junto às pessoas sofridas”.
Que Deus o recompense por todo o bem que realizou neste mundo, e o acolha entre tantos irmãos que se fizeram menores, seguindo a Jesus, nos passos de São Francisco.

Fonte: http://www.franciscanos.org.br

Divindade Escondida

Deixe um comentário

Dom Cláudio Hummes

Dom Cláudio Hummes

A Igreja, hoje, celebra uma grande festa, a solenidade do Corpo de Cristo. Ela canta, alegra-se diante desse grande mistério do amor de Jesus Cristo por nós, do mistério do Santíssimo Sacramento, do pão e do vinho que é transformado no Corpo e Sangue de Cristo; a imensa majestade de Deus, que se esconde num pedaço de pão e num pouco de vinho. A Igreja, então, reza uma oração antiga, prostra-se diante do Santíssimo Sacramento e diz: “Eu Te adoro devotamente, ó Divindade Escondida. Diante de Ti, meu coração se inclina, porque, contemplando-Te, tudo mais submerge no Teu esplendor e na Tua humildade”.
Nós, de fato, rezamos diante do Santíssimo Sacramento. Não temos muitas palavras a Lhe dizer, senão: “Eu Te adoro, ó Divindade Escondida”. É por isso que o Corpus Christi e o Santíssimo Sacramento são tão queridos do nosso povo, pois eles têm uma devoção enorme. Quanto mais profunda e simples nossa fé, mais profunda nossa admiração diante desse mistério do amor de Deus por nós.
Como é possível que Deus se faça tão pequeno? Ele já havia se feito homem, nós O víamos, podíamos tocá-Lo, mas isso não bastou para Deus, porque, ao ressuscitar e voltar ao Pai, Ele nos diz que ficará conosco até o fim dos tempos e o faz na Eucaristia.
No Sacramento, Ele se faz quase nada por amor a nós. E por que Ele quis isso? O Papa Bento XVI, ainda no seu tempo, falando dos sacerdotes, diz que Jesus instituiu o sacerdócio para continuar próximo de cada um de nós, sobretudo da maneira mais sofrida, mais desconhecida.
No coração de Cristo estamos totalmente presentes com Ele. Jesus quer estar próximo de nós a ponto de se fazer alimento, o qual lembra saúde, salvação. Ele quer ser consolo, alegria, festa, comunhão.
À medida em que meditamos sobre isso, ficamos agradecidos a Deus, louvamos a Ele, pois assim Ele nos ama, a ponto de dar-se na cruz e continuar se doando na hóstia consagrada.
Essa proximidade vemos, hoje, no Evangelho, na multiplicação dos pães, prenúncio da Última Ceia, quando Jesus instituiu a Eucaristia. No Reino de Deus a humanidade estará reunida, haverá abundância para todos.
A Eucaristia dá sentido à nossa vida, pois é doação, é doar-se ao outro. Há sentido em investir nossa vida no pobre, pois Jesus fez isso na cruz. Existe um futuro, porque Deus nos ama e nos ensina a sermos próximos, de forma a não queremos nada em recompensa.

Fonte: http://www.cancaonova.com

Papa na Missa de Corpus Christi: seguimento comunhão e partilha

Deixe um comentário

01Papa Francisco deixou o Vaticano, na tarde de hoje, para celebrar a Santa Missa de Corpus Christi na Basílica de São João de Latrão, sede da diocese de Roma.
O Santo Padre deixou a Casa Santa Marta, no Vaticano, às 18.40, hora local, e se dirigiu de automóvel à Basílica Lateranense, onde, às 19.00 deu início à celebração da Santa Missa no patamar da Basílica. Antes da Missa, se deteve por alguns instantes em adoração diante do Santíssimo Sacramento.
Em sua homilia, o Papa partiu da frase evangélica da liturgia de hoje: ”Dai-lhes vós mesmos de comer”. Esta expressão chamou a atenção do Santo Padre, que se deixou guiar por três palavras chaves: seqüela, comunhão, partilha. E perguntou: “Mas, dar de comer a quem”? E respondeu: “À multidão que seguia a Jesus, da qual escolheu seus Doze Apóstolos. E acrescentou:
“O povo o segue, o escuta, porque Jesus fala e age de modo novo com a autoridade de quem é autêntico e coerente, de quem age na verdade, de quem transmite a esperança que vem de Deus, de quem revela o rosto de um Deus que é Amor. Por isso, o povo louva a Deus!”
Hoje, disse o Papa aos fiéis presentes, também nós viemos aqui para seguir a Jesus, ouvi-lo, acompanhá-lo e entrar em comunhão com Ele na Eucaristia. Jesus nos fala através do silêncio do Mistério da Eucaristia. Eis porque Jesus pede aos discípulos para dar de comer à multidão. E acrescentou:
“Esta noite, também nós estamos em torno da mesa do Senhor, da mesa do Sacrifício Eucarístico, durante o qual Ele nos dá, mais uma vez, o seu corpo, tornando presente o único sacrifício da Cruz. A Eucaristia é o Sacramento da comunhão, que nos faz sair do nosso individualismo para passarmos ao seguimento e à fé no Senhor”.
Enfim, depois de explicar os dois aspectos da sua homilia, seguimento e comunhão, o Santo Padre passou ao terceiro: a partilha ou solidariedade, que nasce da distribuição dos pães e dos peixes à multidão, ou seja, colocar o que temos e as nossas humildes capacidades à disposição de Deus e dos irmãos. E o Papa concluiu:
“Esta noite, mais uma vez, o Senhor, distribuiu entre nós o pão, que é seu corpo e se torna dom. Por isso, também nós experimentamos a solidariedade de Deus para com o homem, uma solidariedade que nunca se esgota e nunca deixa de nos maravilhar. Na Eucaristia o Senhor nos faz percorrer seu caminho, que é serviço, partilha e dom”.
Portanto, seguimento, comunhão e partilha. O Papa pediu a Deus para que a Eucaristia nos provoque sempre a seguir o Senhor, a ser instrumentos de comunhão, a partilhar com Ele e com os nossos irmãos o que temos e o que somos. Somente assim a nossa existência será fecunda.
Ao término da celebração Eucarística, o Santo Padre presidiu à procissão de Corpus Christi, da qual participaram o clero e os numerosos fiéis presentes. No final, o Papa concedeu a todos a bênção Eucarística e retornou ao Vaticano.

Fonte: http://www.radiovaticana.va

Centenas de dioceses unidas ao Papa na adoração eucarística

Deixe um comentário

DSCF3683Continuam chegando novas adesões ao Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, para o ato de adoração eucarística convocado pelo Papa Francisco neste domigo 2 de junho.
Como já relatado, por causa do Ano da fé o santo padre presidirá uma cerimônia de oração e reflexão na Praça de São Pedro às 10h da manhã (hora local), que concluirá com a benção solene do Papa.

De Bombaim a Lima
Já são umas 500 as jurisdições eclesiásticas do mundo inteiro que confirmaram a sua “conexão” no domingo com Francisco. Respeitando os horários e regiões do mundo, cada um vem organizando convocatórias com a maior participação possível, seja nas praças e catedrais, como através dos meios de comunicação.
Como coletado pela agência Asia News, serão ao menos 19 milhões de católicos os que participarão na Índia. Assegurou o cardeal Oswald Gracias, arcebispo de Bombaim e presidente da Conferência Episcopal da Índia. De acordo com o alto prelado, as intenções serão “viver um momento de comunhão com o Papa Francisco, comunhão com a Igreja universal, assim como comunhão e proximidade com os problemas da Índia, que demandam uma missão cada vez mais eficaz contra a pobreza, a dignidade da mulher e contra a violência”.
Do outro lado do mundo, a arquidiocese de Lima informa que no mesmo domingo às 10h da manhã (hora local), o cardeal Juan Luis Cipriani celebrará a solenidade do Corpus Christi no átrio da Basílica Catedral, “unindo desta forma a Igreja católica em Lima, à adoração eucarística mundial, que sob o lema “Um só Senhor, uma só fé”, foi convocado pelo Santo Padre Francisco”. Terminado o ato, começará a procissão eucarística, na qual o Santíssimo Sacramento percorrerá as ruas ao redor da Praça Maior.
Esta missa encerrará o Congresso Internacional “Famílias do Século XXI” que começa hoje na capital, para o qual se espera uma ampla participação de bispos, vigário episcopais, superiores maiores, presbíteros diocesanos e religiosos; assim como milhares de fieis das paróquias de Lima, membros das irmandades, confrarias, colégios paroquiais e religiosos, movimentos eclesiais, institutos religiosos, entre outros.

Fonte: http://www.zenit.org

CNLB realiza em Cuiabá (MT) a 32ª Assembleia Geral Ordinária

Deixe um comentário

01O Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) realiza nos dias 30 de maio a 02 de junho de 2013, no Centro Nova Evangelização (CENE), em Cuiabá (MT), a 32ª Assembleia Geral Ordinária.
Refletindo sobre o tema: “À luz da memória, projetando a história: O Conselho Nacional do Laicato do Brasil”, os leigos e leigas dos mais diferentes regionais da CNBB se encontrarão para avaliar e refletir, projetar e encaminhar estratégias para a articulação do CNLB, como espaço de fortalecimento e resgate da identidade e da missão dos leigos e leigas, para uma atuação mais corajosa e eficaz na Igreja, na vida do povo e na sociedade.
Durante a assembleia, haverá a escolha da nova presidência do CNLB, bem como do novo conselho fiscal para o mandato de 2013 a 2016. Espera-se uma participação significativa das mais variadas organizações e expressões laicais, reforçando assim o desejo de se construir uma Igreja viva e atuante, essencialmente ministerial e encarnada na história humana, preferencialmente, na vida de tantos excluídos da sociedade. Atendendo aos apelos de Jesus Cristo, o profeta de Nazaré, sob o influxo dos 50 anos do Concílio Vaticano II, o CNLB, enquanto organismo de comunhão eclesial, quer ser presença evangelizadora, sobretudo, nas realidades mais desafiadoras da sociedade, onde a vida e a dignidade humana se encontram ameaçadas.

Fonte: http://www.cnbb.org.br

Older Entries