Sabedoria de Padre Pio

Deixe um comentário

PioSeja grato e beije docemente a mão de Deus. É sempre a mão de um pai que pune porque lhe quer bem.

Aqui no Brasil, a “Lei da Palmada” como ficou conhecida, trouxe muita polêmica e discussão. O projeto de lei que visava proibir o uso de castigos físicos ou tratamentos cruéis ou degradantes na educação de crianças e adolescentes foi ridicularizado pela mídia. Claro que ninguém deve ser em hipótese alguma tratado com castigos físicos, isso é tortura! Ninguém merece receber tratamentos cruéis, mas por outro lado o Estado também não tem o direito de interferir no modo como os pais educam seus filhos. Qualquer tipo de agressão deve ser punida conforme a lei, mas uma palmadinha no bumbum nunca fez mal a ninguém.
Eu apanhei quando criança, meus pais apanharam, meus avós apanharam. Salvos alguns abusos que sempre acontecem, na maioria dos casos foram apenas uns tapinhas corretivos.
Meu filho já está com quase catorze anos e nunca dei uma surra nele. Mas me lembro de vez ou outra ter dado uma palmadinha para corrigi-lo. E você que é pai, que é mãe, sabe o quanto isso dói em nós, não é mesmo? Muitas vezes essa palmadinha dói muito mais nos pais do que nos filhos. Muitas vezes após passar um corretivo nos filhos, nos trancamos no quarto para chorar. Então será que os pais gostam de punir? Gostam de dar uns tapas? Gostam de castigar? Gostam de ser rudes e falar alto com os filhos? Claro que não! Já disse e repito: Isso dói bem mais em nós. Mas se não gostamos, por que fazemos?
Fazemos porque amamos.
Mais vale um tapinha hoje em casa, do pai ou da mãe do que uma surra da polícia. Mais vale aprender em casa do que deixar que o mundo ensine, que a sociedade molde, pois o mundo lá fora é dureza.
Quando seu filho fala um pouco mais alto com você, você já o repreende. Já diz pra ele baixar a bola não é mesmo? Já mostra que ele tem que ter respeito com você, pois você não é qualquer um, você é o pai, a mãe dele e com você o buraco é mais embaixo. Ele tem que aprender. Aprender a respeitar a autoridade constituída, respeitar as leis, respeitar os mais velhos. E isso começa em casa. Estende-se também à escola. Respeitando os professores, os orientadores, os diretores…
Eu sou professor e todos os anos tenho cerca de 900 alunos. Eles não têm medo de mim, mas me respeitam. Não sou autoritário, mas sou a autoridade em sala de aula. Se um aluno chega atrasado à minha aula eu dou uma bronca mesmo. Mas porque amo. Amo os alunos como se fossem meus filhos. Se você não aprender a não chegar atrasado à escola, no futuro vai acabar chegando atrasado ao trabalho também. E vão descontar do teu salário. E se você se atrasar muitas vezes, será mandado embora, será demitido. O mundo não perdoa. Eu não permito que as meninas assistam aula quando vão vestidas de forma indecente, mas faço isso porque amo. Elas precisam aprender. Aprender a se valorizar. Aprender que cada ambiente na sociedade exige um comportamento distinto, uma forma de vestir diferenciada e que não podem ir para a escola como se estivessem indo à praia.
Posso ser visto como o professor mais chato da escola. Que não deixa fazer nada, que cobra muito e que tem muitas regras a serem cumpridas, mas certamente sou o que mais ama. Pois quem ama cuida. E quem não ama, não está nem aí.
Nós temos que aprender a reconhecer que quando somos corrigidos é por amor e não por maldade. Quem nos corrige, assim o faz, porque quer ver o nosso crescimento, o nosso amadurecimento e não porque ele é mau, é cruel ou sente prazer em corrigir ou punir. E padre Pio nos diz que devemos ser gratos.
Deus é um Pai que ama e por amar assim muito e amiúde, Ele corrige. Ele pune.
Seja grato e beije docemente a mão de Deus, diz padre Pio, pois é a mão de um pai que pune porque lhe quer bem.
É muito fácil louvar a Deus quando tudo vai bem. Difícil é fazê-lo nas tribulações, nas dificuldades. Nas dificuldades costumamos praguejar, reclamar, murmurar, nos queixar para Deus. Ó Senhor, porque estás fazendo isso comigo?
Mas devemos aprender que se estamos passando por uma tribulação é uma espécie de processo de purificação da alma, de crescimento espiritual, de amadurecimento como seres humanos. E Deus nos permite passar por tudo isso, porque nos ama. Porque é um Pai amoroso, bondoso, misericordioso e nos ama tanto que nos pune sempre que assim é necessário.
Portanto façamos como diz padre Pio, sejamos gratos a Deus por todas as tribulações, por todos os sofrimentos, por todas as vezes que ele nos pune, nos corrige, nos modela, e beijemos docemente a Sua mão em sinal de obediência, de respeito e de amor.
Que assim seja, amém.

Rodrigo Hogendoorn Haimann, ofs

Papa Francisco saúda os fieis em audiência de 29-01.

Deixe um comentário

Católicos na Índia lançam campanha contra superstição após caso de menino morto por falta de atenção médica

Deixe um comentário

01Uma diocese católica na Índia lançou uma campanha médica e contra as superstições depois da morte de um menino que sofria de apendicite e não recebeu atendimento médico porque seus pais utilizaram diversas “curas mágicas” que resultaram inúteis para salvar seu pequeno.
O menino estudava na primeira escola de São Xavier em Lazu, na diocese de Miao do estado Arunachal Pradesh. O pequeno foi diagnosticado com apendicite durante uma revisão de rotina antes das férias de Natal.
O diretor da escola, o Pe. Joy Moc, alentou os pais a procurarem o tratamento médico correspondente no hospital, mas ambos fizeram caso omisso e usaram “curas mágicas e sobrenaturais”, com o qual o apêndice do menino se rompeu provocando-lhe a morte.
“Uma vida inocente se perdeu. Não queremos que isto se repita no futuro”, explicou o sacerdote ao grupo ACI no último dia 23 de janeiro.
Depois do falecimento do menino, a diocese decidiu realizar uma campanha médica e contra as superstições, que se realizou em 17 de janeiro. Nela participaram 500 estudantes e fiéis da comunidade.
Como parte da iniciativa se realizou uma marcha onde os participantes levaram cartazes nos quais se lia “Diga não à superstição”, “Nossa saúde é nosso direito”, “Vá ao médico se estiver doente” e “Remédios adequados a tempo”.
O Bispo de Miao, Dom George Pallipparambil, expressou seu apoio à campanha e assegurou suas orações pelos frutos da iniciativa. Em declarações ao Grupo ACI comentou que “a ignorância e as redes de superstição são grandes desafios. Para enfrentá-los a educação é uma prioridade”.
O estado de Arunachal Pradesh fica em uma região afastada da Índia e uma parte deste estado é reclamada pela China. A área é montanhosa e tem em seu território os Montes do leste dos Himalayas. As dificuldades do terreno e o difícil acesso são alguns dos fatores que geraram a pobreza, a falta de infraestrutura e o subemprego.

Fonte: http://www.acidigital.com

Cardeal Odilo Scherer celebra 12 anos de ordenação episcopal

Deixe um comentário

01A Arquidiocese de São Paulo está em festa pelo aniversário de 12 anos da ordenação episcopal do seu arcebispo metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer.
Para comemorar a data, neste domingo, 2, será celebrada uma Missa na Catedral da Sé, às 9h, presidida por Dom Odilo e concelebrada pelos bispos auxiliares e padre da arquidiocese. A Celebração será aberta a todos os fiéis.
Dom Odilo foi ordenado bispo no dia 02 de fevereiro de 2002, em Toledo, no Paraná. Foi bispo auxiliar de São Paulo por cinco anos e, em 2007, foi nomeado Arcebispo metropolitano da capital paulista, pelo Papa João Paulo II, missão que assumiu em 29 de abril do mesmo ano.

Fonte: http://www.cancaonova.com

“Pensem no bem das crianças e dos jovens”, pede Francisco aos membros da Congregação para a Doutrina da Fé

Deixe um comentário

01O Papa Francisco recebeu em audiência esta manhã, na Sala Clementina, os membros da Congregação para a Doutrina da Fé, no encerramento de sua Assembleia Plenária.
Em seu discurso, o Pontífice recordou a função desse dicastério, que é “promover e tutelar a doutrina sobre a fé e os costumes em todo o mundo católico (Constit. ap. Pastor bonus, 48)”. Todavia, observou, desde os primeiros tempos da Igreja existe a tentação de entender a doutrina num sentido ideológico ou de reduzi-la a um conjunto de teorias abstratas e cristalizadas. Na realidade, a doutrina tem como único fim servir a vida do Povo de Deus e garantir à nossa fé um fundamento seguro. “De fato, é grande a tentação de nos apropriar dos dons da salvação que vem de Deus, para domesticá-los – talvez com boas intenções – às visões e ao espírito do mundo. E esta é uma tentação que se repete continuamente.”
Para o Pontífice, zelar pela integridade da fé é uma tarefa muito delicada, que deve ser feita sempre em colaboração com os Pastores locais e com as Comissões Doutrinais das Conferências Episcopais. “Isso é importante para salvaguardar o direito de todo o Povo de Deus a receber o depósito da fé na sua pureza e na sua integralidade.” Por isso, Francisco pediu aos membros da Congregação que mantenham uma atitude de diálogo e colegialidade para que a luz da nossa fé brilhe sempre mais diante do mundo.
A seguir, o Papa mencionou o tema em debate na Plenária, que foi a relação entre fé e o Sacramento do matrimônio. “Trata-se de uma reflexão de grande relevância”, destacou o Pontífice, recordando que já Bento XVI havia formulado a necessidade de se interrogar mais profundamente acerca da relação entre fé pessoal e celebração do Sacramento do matrimônio, sobretudo no atual contexto cultural.
Por fim, Francisco agradeceu aos membros da Congregação para a Doutrina da Fé pelo empenho em tratar dos chamados delitos mais graves, em especial dos casos de abuso sexual de menores por parte de clérigos. “Pensem no bem das crianças e dos jovens, que na comunidade cristã sempre devem ser protegidos e amparados em seu crescimento humano e espiritual.”
Neste sentido, o Papa anunciou que se estuda a possibilidade de que a Comissão para a proteção dos menores que ele criou colabore com a Congregação para a Doutrina da Fé.

Fonte: http://www.radiovaticana.va

Atacada uma igreja copta-ortodoxa no Cairo

Deixe um comentário

01Um morto e dois feridos: este foi o triste saldo de um ataque perpetrado por um grupo de homens armados, ontem à tarde, contra a igreja copta-ortodoxa da Virgem Maria, em Gizé, no Cairo. As vítimas eram policiais que responderam aos disparos.
Os moradores conseguiram deter o carro dos agressores. Um deles foi entregue imediatamente às autoridades. O cúmplice foi preso algumas horas mais tarde. Segundo a agência de notícias Asia News, os dois homens detidos são ativos no panorama extremista islâmico.
Em sua mensagem de condolências à família do policial assassinado, o patriarca copta ortodoxo Tawadros II condenou duramente o ataque. O pe. Jerome Samir, da diocese do distrito, afirmou à agência MCN que nos próximos dias aumentarão as medidas de segurança inclusive nas igrejas menores, devido à ação, na região, de várias milícias armadas que “querem destruir a paz”.
Todavia, continua a onda de violência que atingiu o Egito depois da expulsão dos Irmãos muçulmanos do governo logo após a grande manifestação do 30 de junho passado que viu cerca de 30 milhões de pessoas descerem às ruas. Sempre ontem, alguns homens armados mataram além do mais o general Mohamed Said, alto funcionário do ministério dos assuntos interiores do egito. O homicídio – informa a Radio Vaticana – acontece poucas horas antes do processo contra o ex presidente e líder islâmico Mohamed Morsi, acontecido no Cairo e faltando um dia do sinal verde do Conselho supremo do exército (Scaf), que deu o placet ao general al-Sisi, ministro da Defesa, para uma sua candidatura como futuro presidente.

Fonte: http://www.zenit.org

Campanha SOS Filipinas arrecada mais de 890 mil reais

Deixe um comentário

01A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira lançaram, em novembro de 2013, a Campanha SOS Filipinas, com o objetivo de ajudar as milhares de pessoas vítimas do tufão Hayian, que atingiu várias regiões do país, no dia 8 do mesmo mês.
Até o momento, foram arrecadados mais 890 mil reais, por meio das contas disponibilizadas pela Cáritas. Os recursos serão destinados a Cáritas Filipinas para a compra de utensílios de primeira necessidade como água potável, produtos de higiene e limpeza, alimentos e remédios, bem como para apoiar a reconstrução do país.
Em nota, publicada ainda no mês de novembro, a CNBB e a Cáritas “agradecem a generosidade das paróquias, pastorais, entidades católicas, colégios e de todas as pessoas que se mobilizam nesta ação de solidariedade”.
Segundo a Cáritas Brasileira, que atua em consonância com a Cáritas Internacional, o plano de apoio às Filipinas tem duração prevista de seis meses e pretende ajudar cerca de 275 mil pessoas em sete províncias atingidas pelo tufão.
A colaboração pode ser feita por meio das seguintes contas:
Banco do Brasil – Ag: 3475-4 – CC: 29368-7, Caixa Econômica Federal – Ag: 1041 – CC: 832-0 – Op. 003 e Bradesco – Ag: 0606 – CC: 66000-0.

Fonte: http://www.cnbb.org.br

Older Entries