Cisco do amor – Amor incondicional

Deixe um comentário

01

 

Fonte: http://www.ciscodoamor.com.br

Anúncios

Amor incondicional por jovens é essência da pedagogia de Dom Bosco

Deixe um comentário

Padre Eduardo Capucho Gonçalves

Padre Eduardo Capucho Gonçalves

Um dos santos que mais se doou para a juventude. Esse é São João Bosco, mais conhecido como Dom Bosco, santo celebrado pela Igreja nesta quinta-feira, 31. Com sua proximidade aos jovens e um jeito peculiar de evangelizá-los, o carisma desse santo italiano continua atual, mesmo 125 anos após sua morte.
Fundador da Congregação Salesiana, Dom Bosco exerceu ao longo de toda a sua vida um trabalho evangelizador que teve como foco de atenção os jovens. Os métodos utilizados mostraram-se eficazes e chamavam a atenção pela simplicidade.
O gerente do Centro Universitário Salesiano (UNISAL) de Lorena (SP), padre Eduardo Capucho Gonçalves, explicou que os documentos não foram a melhor forma encontrada por Dom Bosco para manifestar essa proximidade com a juventude.
Segundo o padre, quando perguntado sobre a origem do sucesso da evangelização com os jovens, o santo sempre respondia com um convite: uma visita ao oratório, lugar onde, na época, jovens abandonados podiam morar, trabalhar e rezar. Diante de realizações como esta, padre Eduardo destacou a vida e obra de Dom Bosco como um “incondicional amor pelos jovens”.
“No fundo é muito a ideia da acolhida; ele conseguia acolher muito os alunos. Nós falamos também da intencionalidade, que era ajudar o jovem a encontrar-se com ele mesmo e com Deus. Ele valorizava muito essa ideia da acolhida, de um ambiente sadio, de conversas ou influências sadias. No fundo, ele gostava muito de constituir um ambiente saudável”, disse.
Outro grande destaque da obra evangelizadora de Dom Bosco é a pedagogia preventiva, que consiste em prevenir os males sem lesar a liberdade da pessoa. Embora seja secular, padre Eduardo acredita que tal pedagogia continua eficiente na educação dos jovens. Ele acredita que, mesmo que a juventude dos tempos atuais tenha características próprias, as necessidades das pessoas não mudaram.
“As pessoas precisam de coisas parecidas, na época dele ou na nossa época. Na nossa época, as pessoas precisam se sentir seguras, valorizadas e amadas e o sistema preventivo garante um pouco isso”.

O carisma salesiano
Sobre a principal marca do carisma de Dom Bosco, padre Eduardo enfatizou que o sistema preventivo utilizado é mais que uma metodologia , mas sim uma espiritualidade que os salesianos vivem.
O sacerdote explicou que, de uma forma ou de outra, todos os grupos da família salesiana pretendem viver uma parcela, uma característica do sistema preventivo. Assim sendo, qualquer grupo dessa família vai ter um dom, uma visão e uma graça especial sobre o modo em que vai se manifestar na vida da Igreja.
“Eu acredito que a vivência do carisma, independente do grupo em que a pessoa está, sempre vai ser pautada no sentido de vida que a pessoa vai encontrar junto aos jovens ou junto àqueles que precisam”.
Por fim, padre Eduardo destacou que o carisma salesiano é sempre uma resposta às necessidades do tempo presente. “Então se um grupo da família salesiana que se inspira em Dom Bosco vê uma necessidade do mundo atual que precisa ser respondida, mesmo que Dom Bosco não a tenha vivido, isso, sem dúvida, é também do carisma salesiano”.
Atualmente, a missão salesiana está por todos os cantos do mundo, colaborando e contribuindo com a educação básica, profissionalizante, lazer, entretenimento, alimentação, moradia e evangelização de crianças e jovens. Entre os numerosos membros da família salesiana, está a Comunidade Canção Nova, cujo fundador, Monsenhor Jonas Abib, é um sacerdote salesiano. A Comunidade foi admitida oficialmente na Família Salesiana em 21 de janeiro de 2009, durante a reunião do Conselho Geral dos Salesianos, em Roma.

Fonte: http://www.cancaonova.com

Telegrama de pesar de Bento XVI pelas vítimas de motim em prisão venezuelana

Deixe um comentário

01O Papa Bento XVI, através do Secretário de Estado Tarcisio Bertone, enviou um telegrama de condolências ao Arcebispo de Barquisimeto, Dom Antonio José López Castillo, manifestando pesar pelas vítimas da Penitenciária venezuelana de Uribana, onde durante um motim morreram 58 pessoas e 88 ficaram feridas. Lê-se na mensagem:
“Sua Santidade Bento XVI, profundamente consternado pela notícia dos trágicos incidentes ocorridos na prisão de Uribana, estado de Lara, que provocou numerosas vítimas, oferece sufrágio ao Senhor pelo eterno descanso dos falecidos, ao mesmo tempo que faz chegar aos familiares seu mais profundo pesar, assim como sua proximidade espiritual, junto ao desejo de um pronto e total restabelecimento dos feridos. O Papa também encoraja a todas as pessoas e instituições responsáveis para seguirem trabalhando com um espírito de colaboração e boa vontade para a superação dos problemas e, assim, evitar no futuro que acontecimentos tão dramáticos voltem a se repetir. Com estes sentimentos, o Santo Padre invoca a amorosa proteção da Virgem Maria, transmitindo com afeto sua confortadora Bênção Apostólica, como sinal de consolo e esperança neste momento de tristeza”.
Cardeal Secretário de Estado de Sua Santidade Tarcisio Bertone.

Fonte: http://www.radiovaticana.va

Vamos rezar o terço?

Deixe um comentário

Edson Luiz Sampel é Doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense, de Roma.

Edson Luiz Sampel é Doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense, de Roma.

Na Divina Comédia, Dante Alighieri, reportando-se a nossa Senhora, escreveu este lindo verso: “Donna, se’ tanto grande e tanto vali, che qual vuol grazia e a te non ricorre, sua disïanza vuol volar sanz’ ali.”(Paraíso, canto XXXIII, 12). Em português, numa tradução livre: “Mulher, és tão grande e tanto vales, que quem não recorre a ti por uma graça quer voar sem asas.” A obra máxima da literatura italiana expressa a verdade de fé de que para chegarmos a Jesus é bastante útil a intervenção da mãe dele, Maria santíssima. Ou seja, as graças, que só Deus nos concede, vêm-nos quase sempre por intermédio de santa Maria.
O código canônico recomenda aos católicos “a veneração especial e filial à bem-aventurada sempre virgem Maria, mãe de Deus, a quem Cristo constituiu mãe de todos os homens (…)” (cânon 1186). Para animar a espiritualidade dos seminaristas, o cânon 246, § 3.º, determina que os formadores incentivem o culto à virgem Maria, também pela oração do rosário. Um dos caminhos com vistas à perfeição dos padres consiste em eles cultuarem com especial veneração a mãe de Deus (cânon 276, § 2.º, 5.º). Os religiosos, por seu turno, são outrossim incentivados a honrar a deípara, através de um culto especial e por meio da recitação do rosário (cânon 663, § 4.º). Esta maneira especiosa de venerarmos nossa Senhora chama-se “hiperdulia”.
Na carta apostólica “Rosarium Virginis Mariae”, o beato João Paulo II conclama o povo de Deus a rezar o terço fequentemente. Explica que o rosário é uma oração cristocêntrica, isto é, tem o foco permanente em Cristo. Para reforçar a natureza cristológica dessa oração, o papa instituiu os “mistérios luminosos” (n. 19), enfatizando a vida pública de Jesus, que passamos a meditar às quintas-feiras.
Vamos difundir o rosário! Segundo Bártolo Longo, citado por João Paulo II na supramencionada carta apostólica, “quem difunde o rosário se salva” (n. 8). De fato, o indivíduo que coloca a confiança em Maria depara-se diuturnamente com o consolador semblante de Jesus. Se santa Maria interveio historicamente a favor de determinada gente nas bodas de Caná (Jo 2, 1-2), torna-se razoável crer que ela continua a interceder por nós outros. Jesus mesmo, do alto do madeiro da cruz, incumbiu sua progenitora de assistir a humanidade, representada na figura de são João (Jo 19, 26-17).
Quem desfia as contas do terço jamais perde a esperança! Independentemente da situação em que se achar, ainda que chafurdado num atascadeiro de sordícia, o pecador pode sempre contar com o carinho maternal de Maria santíssima, que decerto o soerguerá para a vida abundante, prometida por Jesus (Jo 10, 10).
Vamos, pois, rezar o terço!

Fonte: http://www.zenit.org

Ibrades promove curso de especialização em Educação Popular e Cidadania

Deixe um comentário

01Estão abertas as inscrições para o curso de especialização lato sensu em Educação Popular e Cidadania, promovido pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento (Ibrades), em parceria com o Centro Cultural de Brasília (CCB) e a Universidade Católica (UcB). As inscrições poderão ser feitas até o dia 30 de março, e o curso terá início em junho.
O objetivo da iniciativa é capacitar para a reflexão e ação nos planos ético, político, cultural e ambiental, a serviço da promoção da justiça na perspectiva da visão cristã do mundo e da democracia participativa. O público alvo do curso são as lideranças políticas, comunitárias e sociais – coordenadores e educadores de organizações não governamentais e governamentais, gestores e conselheiros de políticas públicas, assistentes sociais, professores, psicólogos, lideranças de direitos humanos – e profissionais de áreas afins.
As aulas serão realizadas em três módulos: 30 de junho a 19 de julho de 2013; 11 de janeiro a 02 de fevereiro de 2014; 14 a 18 de julho de 2014. Mais informações podem ser obtidas no Centro Cultural de Brasília, pelo telefone (61) 3426-0413 ou 3426-0400 ou pelo email ibrades@ccbnet.org.br . Ou ainda pelo site http://www.ccbnet.org.br

Fonte: http://www.cnbb.org.br

Evangelho – Mc 4,21-25

Deixe um comentário

Evangeliario+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus disse à multidão: “Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, nóo a coloca num candeeiro? Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça.” Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem.”
Palavra da Salvação.

São João Bosco

Deixe um comentário

santo do diaNasceu perto de Turim, na Itália, em 1815. Muito cedo conheceu o que significava a palavra sofrimento, pois perdeu o pai tendo apenas dois anos. Sofreu incompreensões por causa de um irmão muito violento que teve. Dom Bosco quis ser sacerdote, mas sua mãe o alertava: “Se você quer ser padre para ser rico, eu não vou visitá-lo, porque nasci na pobreza e quero morrer nela”.
Logo, Dom Bosco foi crescendo diante do testemunho de sua mãe Margarida, uma mulher de oração e discernimento. Ele teve que sair muito cedo de casa, mas aquele seu desejo de ser padre o acompanhou. Com 26 anos de idade, ele recebeu a graça da ordenação sacerdotal. Um homem carismático, Dom Bosco sofreu. Desde cedo, ele foi visitado por sonhos proféticos que só vieram a se realizar ao longo dos anos. Um homem sensível, de caridade com os jovens, se fez tudo para todos. Dom Bosco foi ao encontro da necessidade e da realidade daqueles jovens que não tinham onde viver, necessitavam de uma nova evangelização, de acolhimento. Um sacerdote corajoso, mas muito incompreendido. Foi chamado de louco por muitos devido à sua ousadia e à sua docilidade ao Divino Espírito Santo.
Dom Bosco difundiu amplamente os chamados “Oratórios”. Catequeses e orientações profissionais foram surgindo para os jovens a partir de então. Enfim, Dom Bosco era um homem voltado para o céu e, por isso, enraizado com o sofrimento humano, especialmente, dos jovens. Grande devoto da Santíssima Virgem Auxiliadora, foi um homem de trabalho e oração. Exemplo para os jovens, foi pai e mestre, como encontramos citado na liturgia de hoje. São João Bosco foi modelo, mas também soube observar tantos outros exemplos. Fundou a Congregação dos Salesianos dedicada à proteção de São Francisco de Sales, que foi o santo da mansidão. Isso que Dom Bosco foi também para aqueles jovens e para muitos, inclusive aqueles que não o compreendiam.
Para a Canção Nova, para a Igreja e para todos nós, é um grande intercessor, porque viveu a intimidade com Nosso Senhor. Homem orante, de um trabalho santificado, em tudo viveu a inspiração de Deus. Deixou uma grande família, um grande exemplo de como viver na graça, fiel a Nosso Senhor Jesus Cristo.
Em 31 de janeiro de 1888, tendo se desgastado por amor a Deus e pela salvação das almas, ele partiu. Mas está conosco no seu testemunho e na sua intercessão.

São João Bosco, rogai por nós!

Older Entries