Mais importante que os meios usados é o comunicador

Deixe um comentário

Dom Damasceno

A Igreja existe para evangelizar, para comunicar a Boa Nova do Evangelho e fazer discípulos de Jesus entre todos os povos. Esta é a missão que o Senhor confiou à Sua Igreja, com a garantia de que Ele estaria com ela [Igreja] até o fim do mundo (cf. Mt 28,19). Obedientes ao mandato de Jesus, os apóstolos, logo após a Ascensão de Cristo, saíram para proclamar a Boa Notícia por todos os lugares (cf. Mc 16,20).
A mensagem de Jesus não é esotérica, isto é, não é para ficar escondida ou reservada a algum grupo de iniciados, a alguma seita ou religião; ao contrário, ela é destinada a todos os povos: “O que vos é dito aos ouvidos, proclamai-os sobre os telhados” (Mc 10,27).

São Paulo, após a sua conversão, compreendeu essa necessidade de comunicar a mensagem do Evangelho de maneira radical: “Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; é, antes, necessidade que se me impõe. Ai de mim, se eu não evangelizar” (I Cor 9,16).

Diante desta urgência da missão, a Igreja não pode deixar de usar os modernos e potentes meios de comunicação, como a imprensa, o rádio, o cinema, a TV, o celular, a internet e outros mais, para comunicar a uma imensa multidão de pessoas a mensagem de Cristo, “o Salvador do homem e da história, Aquele em quem todas as coisas alcançam sua perfeição” (Bento XVI).
Não podemos nos esquecer de que os meios de comunicação são apenas instrumentos para nos comunicar, não são bons nem maus; tudo depende da finalidade de seu uso. Eles não devem substituir o contato pessoal, pois a comunicação  é,  antes de tudo, relação entre pessoas para criar  comunhão, pois o homem é um ser relacional e a comunicação é essencial em sua vida.
Mais importante que os meios usados é o comunicador e  a mensagem que ele transmite.  Aliás, este é o sentido da palavra “comunicação”, que vem do latim “communis” e significa “comunidade”. Não devemos, pois,  nos isolar das pessoas que estão ao nosso lado, nem querer construir um mundo paralelo, diferente daquele em que vivemos.
Mesmo não tendo os meios modernos de comunicação ao seu alcance, você, discípulo e missionário de Jesus, deve ser um evangelizador, um comunicador, em sua casa, em seu trabalho e na sua vida social.

Dom Raymundo Damasceno Assis

Cardeal arcebispo de Aparecida

Fonte: http://www.cancaonova.com

Anúncios

PATRIARCA DE LISBOA FAZ ESCLARECIMENTO SOBRE ORDENAÇÃO SACERDOTAL DE MULHERES

Deixe um comentário

Dom José Policarpo

O Cardeal-Patriarca de Lisboa emitiu ontem um “esclarecimento” às suas declarações à revista da Ordem dos Advogados sobre a ordenação sacerdotal de mulheres, convidando a “a acatar o Magistério” da Igreja Católica, que reserva o sacerdócio aos homens.
Dom José Policarpo admite que as reações à entrevista, na qual disse que “teologicamente não há nenhum obstáculo fundamental” à ordenação feminina, o obrigaram a “olhar para o tema com mais cuidado”.
“Verifiquei que, sobretudo por não ter tido na devida conta as últimas declarações do Magistério sobre o tema, dei azo a essas reações”, admite, falando mesmo em “indignação” por parte de algumas pessoas.
O Patriarca de Lisboa cita o texto do Papa João Paulo II, na Carta Apostólica ‘Ordinatio Sacerdotalis’, no qual se pode ler: “Declaro que a Igreja não tem absolutamente a faculdade de conferir a ordenação sacerdotal às mulheres e que esta sentença deve ser considerada como definitiva por todos os fiéis da Igreja”.
“O não conferir a mulheres o sacerdócio apostólico, através da ordenação sacerdotal, é uma tradição que radica no Novo Testamento, no próprio Jesus Cristo e na maneira como lançou as bases da sua Igreja”, explica Dom José Policarpo.
O cardeal-patriarca considera que “a questão da ordenação de mulheres para o ministério do sacerdócio apostólico surge recentemente, sobretudo nos países ocidentais e explica-se por fatores diversos”, como “os movimentos de promoção da mulher” ou a “compreensão do sacerdócio ministerial como um direito e um poder”, entre outros.
O purpurado sublinha que “a diferença de ministério não diminui a dignidade da missão” para as mulheres e que a impossibilidade de ordenação sacerdotal “não significa uma minimização da mulher, mas a busca daquela complementaridade entre masculino e feminino, plenamente realizada na relação de Cristo com Maria”.
“Somos, assim, convidados a acatar o Magistério do Santo Padre, na humildade da nossa fé e continuarmos a aprofundar a relação do sacerdócio ministerial com a qualidade sacerdotal de todo o Povo de Deus e a descobrir a maneira feminina de construir a Igreja, no papel decisivo da missão das nossas irmãs mulheres”, indica.
Dom José Policarpo diz que lhe seria “doloroso” gerar confusão na “adesão à Igreja e à palavra do Santo Padre”. “Creio que vos tenho mostrado bem que a comunhão com o Santo Padre é uma atitude absoluta no exercício do meu ministério”, conclui, endereçando-se diretamente aos católicos da diocese de Lisboa.

Fonte: http://www.radiovaticana.org

BENTO XVI SEGUIRÁ PARA CASTEL GANDOLFO

Deixe um comentário

Bento XVI está se preparando para deixar Roma e ir para Castel Gandolfo, onde passará um período de descanso.

Na tarde desta quinta-feira, o Papa viajará para sua residência de verão. Assim, a partir de hoje, e durante todo o mês de julho, ficam suspensas as Audiências Gerais de quarta-feira, que serão retomadas a partir de 3 de agosto.

O Papa presidirá, no entanto, regularmente aos domingos a oração do Angelus, em Castel Gandolfo.

No final de agosto, ainda em Castel Gandolfo, Bento XVI se reunirá com os membros do “Ratzinger Schülerkreis”, isto é, seus antigos alunos de teologia, no seminário anual que este ano enfocará a “nova evangelização”.

Fonte: http://www.zenit.org

Cáritas Brasileira participa da 7ª Feira de Economia Solidária do Mercosul

Deixe um comentário

Será realizada entre os dias 8 e 10, a 7ª Feira de Economia Solidária do Mercosul (EcoSol) e a 18ª Feira Estadual do Cooperativismo (Feicoop), que reunirá em Santa Maria (RS) um mutirão de empreendimentos solidários, entidades, Pastorais Sociais, organizações governamentais e não governamentais, além de movimentos populares.

Mais conhecida como “Feira de Santa Maria”, o evento é inspirado nos princípios do Fórum Social Mundial (FMS) e faz parte do Programa Nacional de Feiras. Sua preparação envolve mais de 60 comissões. Entre os organizadores está a Cáritas Brasileira que, por meio dos programas Brasil Local, Fundos Solidários e o Centro Nacional de Formação em Economia Solidária (CFES), além do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES), realizará diversas atividades durante o evento.

Entre as atividades que a Cáritas está envolvida está o 7º Seminário Latino-Americano que trará o tema “Educação e Economia Solidária na América Latina”. A proposta da atividade é criar um espaço de socialização e reflexão sobre diversas práticas relativas ao tema, como a formação de educadores, metodologias de assessoria técnica, formação política voltada aos empreendimentos e ações governamentais para a educação e à economia solidária.

O seminário, organizado em conjunto pelo FBES, pela Rede Intercontinental de Promoção da Economia Social e Solidária, pelo Espaço Mercosul Solidário e pelos projetos CFES e Brasil Local, os dois últimos desenvolvidos pela Cáritas Brasileira, ocorrerá no próximo sábado, 9, na escola José Otão.

Além disso, na sexta-feira, 8, o CFES realizará um encontro de educadores da Economia Solidária e no dia 10, domingo, promoverá, em conjunto com o FBES, a Oficina de Elaboração Coletiva da Carta de Santa Maria, resultado do 7º Seminário Latino-Americano.

Fonte: http://www.cnbb.org.br

Evangelho – Mt 10,7-15

Deixe um comentário

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Em vosso caminho, anunciai:
“O Reino dos Céus está próximo”.
Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios.
De graça recebestes, de graça deveis dar!
Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro nos vossos cintos;
nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento.
Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno.
Hospedai-vos com ele até a vossa partida.
Ao entrardes numa casa, saudai-a.
Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz;
se ela não for digna, volte para vós a vossa paz.
Se alguém não vos receber, nem escutar vossa palavra, saí daquela casa ou daquela cidade, e sacudi a poeira dos vossos pés.
Em verdade vos digo, as cidades de Sodoma e Gomorra serão tratadas com menos dureza do que aquela cidade, no dia do juízo.
Palavra da Salvação.

Santo Adriano

Deixe um comentário

Adriano viveu no século IV. Era casado com Natália. Recebia oração e via o testemunho de sua esposa nas pequenas coisas, na fidelidade, no amor a Deus e a ele.
Adriano pertencia à chefia da guarda romana, onde o Imperador Diocleciano perseguia duramente os cristãos. Numa ocasião, foram presos 22 cristãos, que testemunharam Jesus perante os tribunais. O coração de Adriano se decidiu por Cristo naquele momento e quis pertencer ao número daqueles heróis do Senhor. Decidiu-se por Cristo, foi preso, sofreu todas as pressões para negar a fé em Cristo e na Igreja.
Natália acompanhou tudo e orava pela fidelidade de seu esposo a Cristo. Adriano teve uma última chance de declarar seu amor à esposa e foi martirizado, queimado vivo, juntamente com os outros 22 cristãos.

Santo Adriano, rogai por nós!